segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

Nascimento

A mulher grávida não devia tomar banho quente para evitar o aborto e também não podia comer certas coisas: vegetais verdes, comida salgada e gordura, para não prejudicar o feto. A parteira local fazia o parto, que geralmente acontecia em casa (Ex 1.15-19; Jr 20.14,15). O recém-nascido era lavado e depois passavam sal em sua pele, na crença de que isso iria endurecê-la. A mãe judia pensava que os membros do filho cresceriam retos e firmes se fossem presos com tiras apertadas aos lados corpo com o que chamavam de "faixas". Essas eram bandagens de 100 a 120 mm de largura e cinco ou seis metros de comprimento (veja Ez 16.4; Lc 2.12).

Nenhum comentário:

Postar um comentário