sexta-feira, 15 de março de 2013

Aniquilação dos mortos


     [Do lat.  nihil , nada] Sustenta esta doutrina estarem todas as almas sujeitas à extinção após a morte fìsica. Apenas Deus, ressalva, possui o atributo da imortalidade; os anjos e, principalmente os seres humanos, estão fadados a desaparecer.
   Tal doutrina não leva em consideração as verdades bíblicas e teológicas referentes à imortalidade da alma e à ressurreição dos mortos que, de forma tão clara e insofismável, é exposta pelos profetas, por Nosso Senhor Jesus Cristo e pelos apóstolos (Dn 12.2; Jo 5.28; 1 Co 15.58).
   O que dizer do capítulo 15 da Primeira Epístola de Paulo aos Coríntios? Temos aqui a grande passagem da ressurreição que, por si só, já seria mais do que suficiente para deitar por terra os postulados da aniquilação.  Este embuste doutrinário busca destruir as bases do Cristianismo; pois a ressurreição dos mortos é um dos principais ensinamentos das Sagradas Escrituras. Além disso, a doutrina da aniquilação defende a inexistência das penalidades e das bem- aventuranças eternas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário