sexta-feira, 15 de março de 2013

"Deixa os mortos sepultar os seus próprios mortos". Mt 8:22


   O que Jesus quis dizer com "deixe que os mortos sepultem os seus próprios mortos" (Mt 8.22; Lc 9.60)?
   Na época em que Jesus pronunciou esta ordem, encontrava-se em uma situação delicada, conversando com um jovem que enfrentava um grande dilema: seguir o mestre ou não.
   Ele precisava decidir-se entre ficar em casa até que seu pai morresse, ou deixar o lar, a família, a fim de seguir seu Mestre e exercer seu ministério. É bem possível que o genitor desse jovem tivesse saúde precária, e não havia certeza de quanto tempo ainda ele viveria. A grande questão que precisava ser resolvida era: quem tem prioridade: Deus ou a família?
   Jesus viu que o jovem estava pronto para ser seu discípulo, portanto, disse-lhe o Senhor: "Siga-me, e deixe que os mortos sepultem os seus próprios mortos". Cristo queria dizer com essas palavras que o resto de sua família estaria pronta para cuidar de modo adequado do pai doente e, mais tarde, do sepultamento. 
  Aparentemente não eram crentes em Cristo e, por isso, ainda estavam mortos espiritualmente. Em outras palavras, ainda viviam "mortos em [...] transgressões e pecados" (Ef 2.1). Como lemos em João 3.36: "Quem crê no Filho tem a vida eterna; já quem rejeita o Filho não verá a vida, mas a ira de Deus permanece sobre ele". Portanto, do ponto de vista de seu relacionamento pessoal com Deus, os demais membros da família daquele moço estavam mortos; por isso, encontravam-se suficientemente preparados para atender às necessidades do pai e de modo especial, as que diziam respeito a seus funerais. 
   Em vez de esperar por ali, até que o genitor viesse a falecer, perdendo assim a oportunidade de estar sob os cuidados de Cristo, o jovem foi conclamado a atender em primeiro lugar ao chamado de Deus para o serviço cristão."Quem ama seu pai ou sua mãe mais do que a mim, não é digno de mim; quem ama seu filho ou sua filha mais do que a mim, não é digno de mim" (Mt 10.37).

Nenhum comentário:

Postar um comentário