quarta-feira, 13 de março de 2013

O objetivo dos registros das descendências.





    Os registros das descendências aparecem muitas vezes na Bíblia. Alguns leitores podem sentir-se tentados a pular a leitura destas passagens como se elas fossem irrelevantes, mas fazer isso é  um grande erro. As genealogias servem a inúmeros e importantes propósitos.
Várias delas falam a respeito dos ancestrais de personagens relevantes na narrativa bíblica (Gn 5.1). Outras mostram a conexão entre as pessoas e as nações do mundo (Gn 10.1). Algumas revelam o soberano plano de Deus em ação ao longo das gerações (Rt 4.18-22).
    De forma geral, há dois tipos de genealogia: a linear e a segmentada, a genealogia linear traça a história dos indivíduos até chegar a um determinado objetivo, a uma pessoa ou a uma situação. Por exemplo, o extenso registro das descendências em 1 Crônicas 1—9 enfatiza a linhagem real de Davi, entre outras coisas. Já as genealogias segmentadas nos indicam como os vários grupos sociais se relacionam. Assim, temos o exemplo de Gênesis 25.1-4, que fornece os nomes dos filhos de Abraão com Quetura. Acredita-se que eles sejam os ancestrais de algumas tribos árabes.
    Os registros de descendências na Bíblia contribuem para mostrar que a fé em Deus não é apenas uma experiência subjetiva, mas sim uma realidade objetiva e histórica, baseada em fatos.
     A crença pode estar enraizada na história, a qual persegue sempre um objetivo. Por outro lado, as genealogias nos ajudam a lembrar que a fé genuína envolve os seres humanos que estão conectados pelo sangue e pela cultura. A história é transmitida dos pais para os filhos, geração após geração, até que se possa compreender toda a história dos tempos de Deus.


Nota: O Novo comentário Bíblico do Antigo Testamento.
EarI D. Radmacher , Ronald B. Allen , H. Wayne House

Nenhum comentário:

Postar um comentário