quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

Bosques e altos (Poste-ídolo)- Aserá 2 Reis 17:9,10.

9 E os filhos de Israel fizeram secretamente coisas que não eram retas, contra o SENHOR, seu Deus; e edificaram altos em todas as suas cidades, desde a torre dos atalaias até à cidade forte.
10 E levantaram estátuas e imagens do bosque, em todos os altos outeiros e debaixo de todas as árvores verdes.

Aserá  era a  deusa  cananita da fertilidade  ( Ashcrah ,  no  hebraico).  Seu culto  penetrou  em Jerusalém por meio  da  mãe  do  rei  Asa  (Maachah,  no hebraico)  e  em  Israel  por Jezabel.  Era  uma  peça  ritual  de  madeira  que simbolizava  a deusa.  Tinha forma  de árvore,  de um tronco  de  árvore  ou de  uma  coluna junto  do  altar  da  deusa.23  Na  tradução  da  Bíblia  para  o Português  é  grafada  como  bosques  ou  poste-ídolo  (2  Rs  17.16).  “...e fizeram  um  ídolo  do  bosque...  e  também  imagens  de  Asera.
A  enciclopédia  Wikipédia  define  Aserá , Astarte  como  personagem do  panteão  fenício  e  na  tradição  bíblico hebraica  conhecida  como deusa  dos  Sidônios  (1  Rs  11.2).  Era  a  mais  importante  deusa  dos fenícios.  Filha de Baal  e irmã de  Camos.  Deusa  da lua,  da fertilidade,  da sexualidade  e  da  guerra,  adorada  principalmente  em  Sidom,  Tiro  e Biblos.
A  indicação  da forma  de  adoração  dessa  deusa  consistia  na figura  de um tronco  (poste)  de árvore, mas está escondida atrás da própria tradução.
O nome da deusa Aserá (ou Asera) também não é realçado.  Tais referências
aparecem  com  Crônicas  e  Reis.  Como  Bosque  aparece  em 2  Reis  14.4:
‘Tão-som ente  os  altos  não  tiraram;  porque  ainda  o  povo  sacrificava  e queimava  incenso  nos  altos”.  Há  um versículo  idêntico  em 2  Reis  12.3. “...o  bosque  ficou  em pé  em  Samaria”  (2  Rs  13.6).
A  tradução  limita-se  à  forma  de  árvore  e  não  dá  detalhes  da  deusa porque  sua  figura  era  indecorosa.  A  deusa  era  construída  por  meio  de um  poste-ídolo.  Ela  aparecia  com  grandes  seios  e  as  genitálias  bem abertas  e  expostas,  de  forma  imoral.  Por  isso,  a  tradução  ocultou  a  real
significação.
Dessa  crendice  e  adoração  gentílica  saíram  outras,  vistas  entre povos  de  várias  partes  do  mundo.  No  Brasil,  por  exemplo,  tem-se  o costume,  em  forma  de  fetiche,  de  bater  na  madeira.  É uma  referência indireta  aos  deuses  que  eram  adorados  em  forma  de  árvore,  troncos  e poste-ídolo

Nenhum comentário:

Postar um comentário